Tuesday, November 24, 2009

Coisas que eu penso.


Não percebi como veio para a conversa dos américas aqui... Mais uma vez fica a minha opinião. Já fui algumas vezes aos USA, e tirando o facto de eles serem muito o seu umbigo, principalmente na costa leste e interior, já na costa oeste é tudo bem diferente, eu cá gramo, e muito, os USA. Costumo dar um exemplo da primeira vez que lá fui, tinha eu uns 23 anitos, ou seja há 24 anos, e entrei numa escola em Chicago, a convite de um amigo circunstancial uma vez que essa viagem foi em trabalho, e percebi o porquê dos cromos olharem muito para dentro...os gajos da minha idade lembram-se na escola primária haver um mapa mundo por cima do quadro, nós tinhamos a Europa ao meio, Àfrica em baixo, e a Àsia à direita, Oceano Atlântico e América na esquerda...pois eles têm a América ao centro e 1 oceano de cada lado, ou seja eles são o centro do mundo, e como são uns gajos práticos e não filosóficos como nós, para eles o centro é a América e o resto é conversa. Para o bem e para o mal. É fácil malhar nos USA são o país mais exposto do mundo, são uma bestas em algumas coisas, mas também são muito bons em outras.
Digam-me lá vocês qual
é o país perfeito ?

75 comments:

Pi said...

primeiro deixa-me ir ali a Berlim já no próximo fds, depois respondo-te....:)

mas a perfeição não existe, nem em forma de país...,
para mim, seguramente um país com mar!

beijo,

Boop said...

Só conheço Boston e NY...
Mas gostei tanto!!!!!!!!
Provavelmente porque me surpreendi! Acho que também vivia o preconceito europeu em relação aos americanos - os broncos... os "novinhos", sem história....

Mas senti-me tão bem lá!
O preconceito foi-se!
Ou pelo menos atenuou-se.

Terão coisas boas e más - mas não têm medo de apresentar trabalho!

Ir lá mudou a minha forma de olhar. Se bem que o que eu visitei não corresponde de todo aos EUA... Imagino que NY seja uma cidade irrepetivel. Penso que qualquer um se pode sentir em casa em NY (desde que não tenha agarofobia.....)
LOL

© said...

meu bem, bom dia
sem falar na minha nz, que é como um sonho, digo-te que gosto muito de itália por muitas e variadas razões. conheço bem milão e florença. daqui a uns dias conto-te umas coisinhas sobre roma.
perfeito é uma palavra que não uso. não sei porquê, mas sabe-me sempre a incompleto.

fcc said...

Sabes, em Itália há qualquer coisa de familiar.
A luz?
As cores?
A arquitectura?
As pessoas?

Não sei... mas tem qulaquer coisa de acolhedor.
Mas ninguém diz que os italianos são burros, como dizem dos americanos!
Os italianos podem ser passionais, intensos (pelo menos na nossa imaginação lusa) mas não são burros!
Porque é que os Americanos têm fama de serem burros?????

Boop said...

Ora bolas esqueci-me outra vez de mudar a identidade!!!!
Este comentário aqui em cima é meu....

Irritadinha said...

A educação que recebem é bem diferente. Enquanto aqui muitas vezes as mães se preocupam que o Joãozinho e a Ritinha cheguem com uma apresentação impecável à escola/colégio, lá as mães preferem que os filhos calcem uma meia vermelha outra verde, uma camisa lilás com umas calças amarelas. E não o fazem para que os putos sejam gozados, fazem-no porque estimulam desde cedo a autonomia dos miúdos. Enquanto nós muitas vezes cá andamos a fazer sorrisos para que alguém diga "ai o menino é tão lindo", lá "assumem logo que são lindos, competentes e estão ali para vencer". Crescem sem ter medo de usar as palavras faz toda a diferença.
Não tenho nada contra americanos, (tirando o Bush mas, isso não é por ele ser americano é por ser burro) mas, há umas coisas naquela sociedade que me escapam... acontece, pronto. Por exemplo eu fiquei em choque com a reeleição do Bush mas, depois com a reeleição do Sócrates acho que já pouca coisa me espantará e é sempre bom ver que nos estamos a um tornar "um país à séria!". A única coisa que tenho "contra" o que veio da América foram algumas ideias para a psicologia (reconheço a sua importância mas, isso não me obriga a ter de as aceitar passivamente). Obviamente que isto pode estar relacionado com o facto de eu, como europeia, estar mais mais habituada a grande teorias que levam o seu tempo a serem postas em prática do que ideias voltadas para o "aqui e agora, nós conseguimos tudo, vamos mudar mentes".
Pronto, era só isto.

Boop said...

Também sei que as minhas fontes são basicamente europeias! Que muitos estudos americanos aparentemente são superficiais e numa procura de conexões justificativas de comportamentos.
Mas há também bons pensadores. Pessoas inteligentes que trabalham bem!
(não sei quem fez aquele estudo de que falei no outro dia sobre crianças educadas por pais homossexuais)

Irritadinha said...

Boop eu não disse o contrário. Mas que mania de me verem como uma radical sindicalista! :) Eu disse que não concordo com "algumas ideias" não disse que em noites de lua cheia ia para um encruzilhada queimar as teorias deles. É óbvio que há teria interessantes, pessoas inteligentes etc, etc. Eu nunca coloquei isso em causa nem coloco.

Boop said...

OK!!
Não te tenho como uma radical!
LOL

Aliás gosto de te ler!!!!

E diz-nos lá qual a tua resposta à pergunta do Francis...
O país perfeito.......

Eu adoro viver em Lisboa e ir conhecendo outros lugares.
Até agora o único sitio que visitei e não me importava mesmo nada de viver é NY. (mas depois teria de voltar!)

Mas a pergunta é dificil Francis!!!!!
Já que perfeitos não os há!!!!!

Irritadinha said...

:)

O perfeito para muitos é uma utopia que justifica a continuação da vida, pela procura dessa utopia. Para outros a perfeição é o que existe, com todas as imperfeições que nos rodeiam... Não sou ingénua ao ponto de achar que existem países perfeito, nem pessoas perfeitas. Não sou de cá mas, adoro Lisboa (sobretudo pelo que esta cidade representa pra mim a nível pessoal). Gosto da minha santa terrinha mas, não me satisfaz. Em compensação um monte no meio da serra enche-me as medidas (também pelo que representa). Posto isto, e já a alongar-me demais, e com todos os defeitos gosto do nosso país. Considerando que não há países perfeitos, tendo em conta algo que representam para mim, mudaria-me para a Inglaterra, Alemanha, Áustria ou Austrália.

Boop said...

Barcelona...
Acho que conseguia viver em Barcelona....

Mas Lisboa.... será sempre a minha cidade!!!!! (não nasci cá... mas nasci muito perto... o suficientemente longe para só frequentar Lisboa na faculdade... o suficientemente perto para me sentir segura e a dois passos de casa!)

Irritadinha said...

Eu nasci longe o suficiente para adorar a distância. :)

Sirigaita said...

Eu adoro morar cá.Só há dois sitios que me fariam mudar de ideias.Barcelona e Londres.

Seria perfeitamente capaz de me mudar hoje pra la de armas e bagagens!

Irritadinha said...

Pra Londres alinho...

Boop said...

Não conheço Londres.....
Posso ir com vocês para visitar?
Dão-me guarida?

Irritadinha said...

Claro que sim. E tenho lá um guia ;)

Boop said...

Cool!

Sirigaita said...

Eu tambem tenho lá um guia.E ele tem dois GPS´s e um apartamento :)

Irritadinha said...

Guias não faltam, vontade também não. Vamos lá organizar a excursão!

Henrique said...

Bons dias a todos.
Então vamos lá:
1. Resposta a brincar:
Estados Unidos ? nunca fui.
Mas fui três vezes ao cinema, serve ?

2. Resposta a sério.
Já viajei um bocadito, de facto, não interessa onde e não tanto quanto gostaria, mas ainda não viajei o suficiente para me referir ao "país perfeito" (sendo certo que, quando estive em Vancouver aquilo tinha sido considerado dois anos seguidos - por não sei quem - como sendo o melhor sítio do mundo para viver. Talvez de dia, porque à noite, depois das nove, a cidade fechava).

Mais do que o país perfeito, eu escolheria o local perfeito:
A) Uma ilha com não mais de 400 kms2
B) Mar límpido e transparente, pejado de peixes
C) Temperatura do ar sempre entre 25 e 32 e da água sempre entre 23 e 25
D) As únicas construções nesta ilha são um resort turístico de luxo, de que eu sou proprietário e gerente. Quando me apetece tb ponho música no bar ao pôr do sol ou à noite na discoteca
E)O resort tem vários daqueles famosos bungalows na água, e um deles é onde eu moro
F) A ilha tem net rapidissima (não sei como, mas tem que ser)
G) Passo o ano inteiro de calções, com t-shirt e descalço, usando havaianas em dias de festa
H)A uma hora da ilha, na minha lancha, existe uma cidade onde há:
a) Restaurantes (incluindo um japonês fora de série), bares, discotecas e cinemas;
b) Serviços de saúde;
c) "Fnac's" (kind of)
d) Um aeroporto.

E fico-me por aqui. Conheço dois ou três sítios parecidos, mas agora não interessa nada. Não me interessa em que país isto se passa. É neste sítio que eu quero estar e esta profissão que eu quero ter.

Henrique said...

p.s.1) "É naquele sítio que eu quero estar e aquela profissão que eu quero ter."

p.s.2) Gostam da nova foto ?

francis said...

ps1; bom filme.

ps2; não.

Irritadinha said...

Cheira-me que alguém no Dubai vai roubar o teu sonho...

Irritadinha said...

ps2) A outra era melhor.

Henrique said...

Francis, receio que tinha sido excessivamente sintéctico, razão pela qual, dadas as minhas limitações, fiquei na mesma. Julgo ter descortinado que não apreciaste a minha foto ? terá sido isso ? então porquê ?

I...., aquilo não é um sonho, é uma resposta a uma pergunta. Para além disso, tenho o negócio todo apalavrado, só me falta companhia.

Irritadinha said...

Enquanto só está tudo apalavrado, mantém-se na esfera dos sonhos.

francis said...

sintéctico em quê ? apenas disse que a tua resposta é um bom filme...i have a dream, mas não quer dizer que não quisesse fazer exactamente o mesmo.
não, não gostei...está desfocada e parece um capot de um táxi.

Sirigaita said...

Oh Kiki eu gosto da foto!e das cuecas da moça! (também curto lamber calos de vez em quando oh Irri)ahahahahahahahah

Pulha Garcia said...

Austrália, ma man.

Ps: Se bem que a nz, nas palavras da C., também está na lista...

Irritadinha said...

Xiii... eu logo vi que trocares comentários com lambe-calos ia dar nisso! Pera aí que "uns tapa" resolvem isso...

Henrique said...

Olha bem: reparaste como o tipo fez o emblema da Mercedes que perdeu ou que lhe roubaram e ele não pode ou não conseguiu obter um novo ?
A foto tem um significado muito mais profundo do que um capot de um táxi, for God's sake. Demonstra, por exemplo, algumas pessoas ou famílias que podem passar por dificuldades momentaneas, mas nunca perdem o pedigree, o saber estar, a educação, os princípios. Pode estar atamancado, mas está lá o símbolo da marca do carro de que o dono se orgulha. Podia escrever-te 400 linhas sobre esta foto, mas o cabrão do telemóvel não pára de tocar e os emails a caírem.

Henrique said...

... e, sobretudo, tu ias achar uma seca ...

francis said...

não tem tanta definição como isso pá, não dá para ver esses pormenores todos

Henrique said...

Outra coisa: ou me engano muito ou, olhando para cima, toda a gente escolheu grandes metropoles, cheias de gente e tal, certo ? o unico selvagem que andaria sempre descalço (e, já agora, bronzeado) o ano inteiro era eu. Não me parece que seja o sonho de mais ninguém ...

francis said...

eu por país perfeito acho a Moruega. mas não queria lá viver.
se não fossem os putos, escolas e o camandro, ía mas era viver para a Tailândia, era certinho.

francis said...

*upsssss NORUEGA, claro está.

Henrique said...

Tinhas logo que escolher um país que não existe !!
Tailandia é porreiro, putas a dar com um pau e ao preço da chuva, dentistas baratos e tal. Eu preferia a minha ilha.
Acho que o Vietname tb é fixe. Tenho que lá ir.

francis said...

essa tailandia é bangok e phuket, aquilo é muito grande e com sitios absolutamente paradisiacos...
Vietname e Cambodja.

me. said...

Podem ser o centro do mundo ou da estupidez, opções...

Mas têm boa música.
Será a única coisa perfeita a nascer por aquelas bandas!

Storyteller said...

Gostar, gostar... gosto de Londres e de Lisboa. Isto apenas porque não conheço Nova Iorque nem Buenos Aires nem Sidney (estão na lista, definitivamente).
Uma paisagem paradisíaca com muita água à mistura tem o problema de ter de andar de fato-de-banho. E eu não sou uma Baywatch babe...

Nota: Nos US of A só estive em Orlando (essa bela localidade) e em Fort Lauderdale, com uma passagem por Miami e pelas Keys (sim, aí estaria próxima do cenário do Henrique).

Sirigaita said...

Henrique claro que escolhemos!Para viver,e falo por mim, eu preciso de movimento,de ruas com muita gente,de cafés abertos,de lojas,de museus,de cinemas,e de muitas outras coisas.É obvio que se tivesse mesmo muito dinheiro pudia comprar uma ilhazéca e ficava lá em pelota a apanhar sol uns dias sem telemóvel e sem televisão.!Mas viver..Não vivia de certeza!Não gosto de me isolar!

Henrique said...

Buenos Aires está na calha ... diz que é lá para Março ... a ver vamos ...

Irritadinha said...

Estás enganado Henrique, eu falei no monte no meio da serra, acho que isso não é uma grande metrópole.

Henrique said...

Eu escrevi que estava sozinho e isolado na ilha ? não me parece ..eu gosto de um numero de pessoas qb. Multidões só na bola. E dispenso lojas, cafés, e similares - que todavia estão a uma hora da minha ilha

Henrique said...

Irri, podias ir a um monte ou algo assim, mas ou eu estou maluco ou disseste que te mudarias "para a Inglaterra, Alemanha, Áustria ou Austrália." ?

Irritadinha said...

Para já ainda não, disse pois claro. Porque ao monte vou quando me apetece, mudo-me para lá sempre que posso.

Henrique said...

Eu sou mais água do que terra

Irritadinha said...

Eu também mas, isso tenho na santa terrinha. Em cada local tenho algo que gosto.

Henrique said...

Outra coisa em comum, porra ?

Ken said...

Eu vivia no meu portugalito, cidade invicta que é perfeita (estou a dar graxa à dyphia).
Depois era só viajar.
Umas vezes água, outras terra.
Esta escolha tem como pressuosto que o pais seleccionado era para viver e não para trabalhar.

Irritadinha said...

Olha o palavrão, pá! Então? O nível? ahahahaah

Henrique said...

Desculpa. Meti a foice em seara alheia. Não tenho o pelouro do palavrão.

Irritadinha said...

Isso mesmo, como diz o outro, cada um no seu triciclo!
Ainda em relação a coisa em comum, estou a apontar, para posterior estudo e reflexão (ou ao contrário, tanto faz).

Henrique said...

Uátduiumin ?

Irritadinha said...

Não me digas que tu não achas surpreendente termos coisas em comum?

Henrique said...

Claro que acho ! Nem da minha foto gostas !

Irritadinha said...

Não gosto porque preferia a outra. Posso ter opinião ou não? Acho que esta choca com a tua "ideologia" do nome e foto verdadeira. Só isso.

Henrique said...

Podes.
Adaptei-me ao status quo. Mais dia menos dia começo nos palavrões, relatos de experiencias sexuais non stop em grupo, e por aí fora. Vai ser uma espiral. Acho que estou mais cool agora, com a minha fotografia idiota.
Ou há moralidade ou comem todos, fuck (viste ? já comecei ...).

Irritadinha said...

Palavrões em "estrangeiro" não contam. Temos maior facilidade em dizer noutras línguas do que na nossa. Mas isso tem a ver com estudos e não te vou aborrecer com essas coisas.
Vi, vi. É má opção, mas é tua.

Boop said...

A outra foto era melhor!

Pelo menos deixava adivinhar qualquer coisa interessante......

Eu também me vejo a viver na cidade.
Acho que é aquela cena do anonimato!
Faz-me confusão estar num sitio em que toda a gente se conhece!

Henrique said...

Quem é que te disse que não conheço esses estudos ?
Estamos a ficar presunçoso-sabichonas ?
Os sabichões fazem-me pele de galinha.
A modéstia, em todos os campos, é uma grande virtude.
Podia referir-te uns estudos sobre modéstia, mas não te vou aborrecer com essas coisas. Além de que duvido que percebesses

Irritadinha said...

Calma lá nada disso, eu disse que era pra não te aborrecer. Se queres interpretar como presunção bom proveito. Continuas a ver-me desfocada.

Henrique said...

Boop, obrigado, mas aquele não era eu. Eu tenho o cabelo preto e bigode farfalhudo por cima do lábio superior.
Irri: insisto - quem te disse que eu não conheço os tais "estudos" ?

Irritadinha said...

Ó Henrique mas estás a pegar por algum lado e não sabes como, é? Eu lá disse que tu conhecias ou deixavas de conhecer tais estudos? A minha frase foi escrita com o intento de dizer que não me ia alongar, só isso. Se conheces parabéns, és um homem actualizado e interessado.

Henrique said...

"interessante", queres tu dizer.
Ok, estava a provocar-te e tu a deixares-te ir.
Mas também deixa-me que te diga: Alemanha ???????? somos mesmo diferentes.
Tá bem, pronto, não te chateio mais.

Irritadinha said...

"Ai e tal olha pra mim a dar lições de modéstia..." e depois pumba, "afinal querias dizer é que eu era interessante" ahahahahahah. És mesmo um must! E deixa lá a modéstia, que não me chateias. Sim Alemanha, qual é o problema?

E já agora que nome punhas à tua ilha?

Henrique said...

Por acaso sou. É verdade é. No outro, no "estrangeiro" - e voltando ao tema inicial deste post - uma americana disse-me duas frases de que nunca mais na vida me esquecerei. Claro que não vos maço mais com a minha intimidade. I apologize.

A Alemanha é uma seca, os alemães são frios, o país é frio, as gajas não se depilam, a comida não presta, queres mais ? Tem carros bons e cerveja. Chega-te ?

Boa pergunta: Talvez "Ilha tu e eu", "Ilha o meu ninho", "Ilha só nós dois", "Ilha Capitães de Abril", mas não sei, vou pensar melhor e depois digo-te.

Irritadinha said...

Isso era para fazermos um movimento a pedir que reveles o que já te disseram?

Quero lá saber das alemãs, eu não gosto de mulheres. E a cerveja é excelente, até eu que não gosto, da alemã bebo. Não, não chega... E eu gosto de frio, também aprecio o calor mas, o frio.... enfim.

"ilha tu e eu" é muito bom hahahahahahah. Rouba o título ao outro e adopta o nome "Ilha Capitães da areia".

Henrique said...

Eu não gosto do frio. Só do calor e com pouca roupa. E água, muita água. Se pudesse andava sempre atrás do verão.
Podes beber uma cerveja alemã nas Maldivas ...

francis said...

henrique, mudas tu de post ou mudo eu ?

Irritadinha said...

Quiçá seja presunção minha, é provável... Mas eu preciso de um pouco de cada. Muita terra, e depois muita água. Muito agitação e depois muita calmaria. Sou de extremos nos meus gostos mas, não sou de extremos em tudo. Por isso preciso de calor mas, também do frio.
É um facto, posso passar uma temporada na Alemanhã e levo a cerveja para as Maldivas. Mas porquê Maldivas? Não posso ocupar uma das ilhas selvagens da Madeira (é reserva natural eu sei mas, se os outros podem construir na Arrábida eu também posso ocupar uma ilha selvagem do arquipélago da Madeira!)?

Irritadinha said...

Alemanha*

Henrique said...

eu mudo

francis said...

ok.

Calíope said...

Eu vim viver para Viena porque na altura a organização do espaço e a rede de transportes públicos pesou mais do que TUDO (e era imenso) que tinha em Portugal. Ok, se o dinheiro tivesse acabado antes de eu ter encontrado um emprego teria voltado com o rabito entre as pernas. Mas isso não aconteceu.

Países, lugares perfeitos não há, mas se não estivesse em Viena talvez estivesse em Barcelona, não sei...