Monday, April 19, 2010

Uma entrevista obrigatória.


A política portuguesa, desde há 30 anos, que é marcada por uma forte demagogia, por meias verdades, meias mentiras, muitas promessas.
António Barreto.


A foto é do próprio. Já agora, aqui fica o blog dele. Jacarandá

10 comments:

Hugo said...

O Vitorino esteve cá a semana passada em Macau e fiquei com pena de não ser o nosso primeiro ministro.

Francis said...

hugo, não digas isso nem a brincar pá...
a malta vende-o em saldo e ficam com ele aí...

Eric Blair said...

qual saldo qual escafandro, pá: dá-se de borla.

Francis said...

eric, não se fala mais nisso...só falta a massa para o embalar e enviar em DHL...

Brutus said...

O que retive desta entrevista (versão em papel, no jornal sem director) foi, por motivos pessoais, a legenda a uma das fotografias (António Barreto, fotografado no seu escritório etc...). Gostei muito.

Entrevista por entrevista, preferi a do Pomar. Já não se fazem gajos daqueles.

Francis said...

brutus, não percebi essa da legenda...

a do Pomar não li, mas como artista não aprecio...

Brutus said...

Só vendo no jornal. Tem a ver com a Torre onde o tipo tem escritório.

Eu tb n gosto do Pomar, nem da maioria dos actuais - não percebo, por exemplo, como é que o Julião Sarmento tem uma sala inteira na Tate Modern - mas o tipo tem piada.

Francis said...

ah ok, acho que já percebi...

mistérios.

Calíope said...

É só pena as gralhas ortográficas e de pontuação, no entanto foi mesmo pôr o dedo na ferida. Mas acho que eu n sou tida nem achada pois incluo-me nos q emigraram.

Baidauei said...

Carissimo, apesar da referencia se dever às respostas do António Barreto, fiquei grato de ver aqui o link da entrevista. ;)