Friday, September 10, 2010

Constatações...


Ao ouvir o Ricardo Sá Fernandes fico com a sensação que o homem vive num mundo à parte. Ou seja, cada vez que perde um processo, ele acusa tudo e todos de serem uns vendidos, de quererem lançar a justiça nas trevas e nos piores sítios do inferno e sei lá mais o quê. Quando ganha, obviamente que foi a mais elementar justiça, porque ele, Ricardo Sá Fernandes, tem sempre razão. Lembro-me sempre de um filme fantástico, Being Jon Malkovich, uma paródia feita sobre uns gajos que vivem dentro da cabeça dele. Que tal com o nosso Dr ?

Carlos Cruz lá continua a sua cruzada, ontem na televisão pública, paga por mim e por ti, teve tempo de antena à borla, e tratamento por tu, para dizer o que lhe apeteceu. No final ainda teve a distinta lata de perguntar " Mas, já acabou ? " Não é lindo ?

5 comments:

Irritadinha said...

O viver num mundo à parte deve ser de família, se não me falha a memória foi o irmão dele que era (não sei se ainda é= vereador da CML que meteu um processo para parar o túnel e a CML ainda ficou com mais prejuízo? Se não foi, combinava com o perfil dele. "Deslarga" o homem (o Ricardo) que ele não tem culpa de viver numa redoma espelhada. Além do mais uma coisa é o que ele diz cá pra fora outra é o que pensa ou pensará... digo eu.

O cliente dele tinha duas opções: renda de bilros ou TV, optou pela TV.

Pulha Garcia said...

Eu não gosto particularmente do Dr. Ricardo Sá Fernandes mas compreendo a sua posição. Está a defender as dores do seu cliente. Cada um compra se quiser.

(Quanto ao Carlos Truz, pois o grande erro foi não ter sido desde o início um verdadeiro socialista, pá)

Pec said...

e nem vale a pena mudar de canal porque UPS! LÁ ESTÃO ELES A QUEIXAREM.SE OUTRA VEZ. ou desligar a tv e ler um jornal porque OLHA O CARLOS! ou uma revista OUTRA VEZ?...

meh

eMe said...

Uma vergonha. É o país que temos.

N.A. said...

É o mal desta gente, todos acharem que têm razão. E esta coisa de o deixarem falar tanto, epá não sei, mas a mim já me enjoa a história do desgraçadinho que foi enganado