Sunday, January 02, 2011

O que fiz ontem (crónica-tipo na blogosfera e respectivos comentários)

Tenho que vos contar isto.

Ontem de manhã, depois de ir ao ginásio, fui ao Minipreço comprar 250gr de fiambre, um quilo de bifes do acém e uma caixa de Tampax tamanho extra (está para me vir o período, acho que é importante que saibam).

Quando cheguei à caixa, deparei-me com um sonho, um Deus, um Apolo - um rapaz moreno, alto, com um tronco como o do Cristiano (sim, ele estava na caixa em tronco nú), com uns olhos verdes de morrer, olhou para mim e perguntou-me: “Tem cartão família ?”. E eu pensei: “É hoje que vou trair o Capitão Haddock”, porque, como sabem, mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, muda-se o ser, muda-se a confiança, todo o mundo é composto de mudança, tomando sempre novas qualidades e eu sou muito intelectual e tal.

Depois de pagar e de passar pela farmácia para comprar uma caixa de Trifene 200, apesar de a Jacinto já não os tomar, resolvi parar na livraria para comprar “A beleza e a tristeza”, do Yasunari Kawabata (um dos meus autores preferidos), “A família Golovliov”, do Saltykov-Shchedrin e o “Lavina” da Ursula K. Le Guin. Já os tinha lido todos, mas nas línguas originais - a Amazon foi uma grande invenção - e só quis ver se as traduções estavam bem feitas.

Tinha combinado com o meu avô às 13 no Olivier Avenida. Não sei se já vos falei no meu Avô (o nome dele é “Sandokan”), mas um dia falo. Gosto muito dele e peço a Deus que só o leve daqui a muitos anos. Sabem, às vezes sou o Deus que trago em mim. E então eu sou o Deus e o crente e a prece. E a imagem de marfim. Em que esse Deus se esquece.

No final pedimos os cafés (um curto e outro com adoçante), o Sandokan pagou (como sempre) e deu-me como presente de Natal o cheque nº. 5466399823 sacado s/ a CGD, não traçado, no montante de trezentos euros.

Depois do almoço fui ver o Tulpan, do Sergei Dvortsevoy, um filme genial dos que o King nos habituou a ver. Uma reflexão sobre as coisas simples da vida, a magia do amor que se idealiza e que se quer construir num mundo em acelerada mudança, mas a que alguns, muito poucos vão resistindo. 74 minutos.

Depois meti-me no meu BMW Mini, azul meridian (um extra que me custou € 2.112, mais IVA), como a matrícula 27-HI-44 (estes pormenores dão credibilidade à coisa), e fui para casa. No túnel da João XXI liguei para o meu amor para o convidar para jantar, pois pensei que o mundo é velha cena ensanguentada, coberta de remendos, picaresca. A vida é chula farsa assobiada ou selvagem tragédia romanesca.

Eu sou mesmo assim, dá-me para pensar nestas coisas em túneis.

O Haddock chegou por volta das 21.14h, já eu tinha lido os três livros novos, e trouxe uma “Cortes de Cima reserva 2003”, que apresenta um aroma intenso a ameixas maduras e frutos silvestres com notas de tosta e baunilha do carvalho. O paladar é cheio, macio e redondo, com notas intensas a fruta doce, algum chocolate e moca. Os taninos apresentam-se maduros e bem integrados com as especiarias provenientes do carvalho. 13.5º.

Trouxe também uma garrafa de Champanhe Cristal Brut 1990 “Methuselah”. Adoro este champanhe, ele sabe, é como uma miragem que entrevejo, ideal, que nasceu na solidão (isto em rigor não quer dizer absolutamente nada, mas apeteceu-me escrever).

Já embalada pelo álcool, olhei para o meu parceiro e, ao som de um CD de música celta, disse-lhe: No divino impudor da mocidade, nesse êxtase pagão que vence a sorte, num frémito vibrante de ansiedade, dou-te o meu corpo prometido à morte !

O tipo passou-se e seguiu-se uma sessão de sexo louco e desenfreado, como se o mundo fosse acabar. Despachados os preliminares, começou com ele por cima, depois eu por cima e tudo acabou com a Rata Borralheira de gatas, com o Capitão Haddock por trás. Acho importante que saibam isto tudo aqui na internet pois estas coisas devem ser partilhadas.

E, então, olhei para o meu Amor e sussurrei-lhe o poema que havia acabado de inventar enquanto me vinha: “E é amar-te, assim, perdidamente... É seres alma, e sangue, e vida em mim e dizê-lo cantando a toda a gente!”

E adormecemos os dois abraçados.

Eu sou assim mesmo.

Rata Borralheira

Grande marada” said …

Se está com o período não te ponhas a fazer maionese :)

Tudo de bom para ti e para o teu “Capitão Canzana” !!!

Abreijinhos, amigona.


Féfé de Belém” said …

Grande texto. Lindo, lindo, até chorei. Ainda estou a fungar. És a maior. Muito bom mesmo. Escreves muito bem.

Logo à tarde não te esqueças de passar lá pelo café.

Bj

Rata Borralheira” said …

Marada: nestas alturas compro a maionese feita lol. Haja respeito pelo meu Capitão !

Féfé de Belém: obrigado pelas tuas palavras. Tu também copias, digo, escreves muito bem lá no “Palácio de Belém”. See you later.


Gravata de alpaca verde alface” said …

Também vi esse filme e gramei muito. Pena que não tenha intervalo porque tinha bebido quatro imperiais ao almoço e ia-me mijando todo.

Continua com a boa escrita. Para quando um livro ?

Ps) Aguardo o teu texto sobre o teu avô. Deve ser um tipo bacano.

CícerA DA BRANDOA” said …

Olá Rata.

O que é que tens feito grande maluca ?

Ontem estive com o “Cona de sabão” e falamos sobre ti. Boa sorte para aquela coisa e tenho pena que a outra não tenha corrido como querias, mas uma vez não são vezes e tal e coisa. Talvez para a próxima, não sei, o que é importante é que a malta fale aqui por meias palavras e em código para dar ideia de que existimos mesmo, pensamos e até nos conhecemos e somos porreiraças e modernas.

Já me esquecia do post !!! aahahahahahahah !!!! também sou uma grande maluca !!!! O vinho é bom, mas o champanhe é uma merda !!! tu sabes que eu lavo os dentes com Pernod-Ricard Perrier-Jouet.

Tb curto música celta, sobretudo depois de fumar umas brocas (o que é super fixe).

Anonymous said …

Fogo, tens uma vida tão fantástica, que inveija que eu tenho de ti. És tão cool e tão culta e tudo. Se eu pudeçe gustaria de ser como tu, dasse.

Malandra Atrevida” said …

Meu doce,

A pila do Capitão Haddock é grande ? esqueceste-te de dizer e é muito importante, pois ao contrário do que dizem, size matters … e muito !

Beijo grande.

Ps) tens ido lá ?

Rata Borralheira” said …

Gravata: quando vais ao King deves começar a levar fraldas ou um penico ;)

Cícera: manda um beijo meu (sem língua, porque eu não sou dessas ;)) ao Cona de sabão. Tenho saudades dele, grande doido !!! sempre que penso nele penso naquilo.

Anónima: não é difícil, basta teres um corrector automático e o Google e tens uma vida como a minha. Continua a mandar postais.

Malandra atrevida: queres saber a medida em repouso ou pronta para o combate ??? Quando está grande até assusta (quando ele começa a pensar nas traseiras fico tão assustada … como eu curto partilhar estas coisas). Não te digo a medida exacta para não ficares com inveja. ahahahahahahahahahah sou mesmo gira !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Macho Man” said …

Uau, que dia que tivestes ! Acho que o teu teixto está o máximo e que escreves super bem. Amei, amei, amei de paixão aquela parte em que dizes “ele sabe, é como uma miragem que entrevejo, ideal, que nasceu na solidão”. Não posso concordar mais. É bem verdade que não quer dizer nada e que não faz qualquer sentido, mas é tão profundo que até me imocionou. Tal como eu, és bué sensível, por oposição a uns homofóbicos brutos que por aí andam. Na volta eles é que são gays, pois quem diz denha quer comprar.

De tudo o que dissestes sabes o que me cauza mais inveija ? o ter o período :) :) :)

Hei-de cá voltar !

Love you.

15 comments:

Pólo Norte said...

Ahahahah! Grande Francisco Diogo!

Pólo Norte said...

(E isso dos túneis pode ser alvo de análise psicoanalítica...)

Francis said...

Pólo, o seu a seu dono, o texto é do Roberto. Eu não tenho este gabarito todo...dito isto...

ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah
ahahahahahahahahahahahahahahahahah

Roberto said...

Francis, man, o pessoal não gosta destas coisas.
Se eu tivesse botado uma miúda semi-nua e escrito "Que tal foi o fim de ano ?" tinha tido mais comentários :)

Vale sobretudo pelo gozo que me dá a escrever ...

Roberto said...

outra coisa que afasta o pessoal é aquilo de eu ser um terrível homofóbico.
Chega-lhe com um post dos teus !!!!

Francis said...

estás enganado, meu bem.
estás a bater records de visitas...o que me faz espécie é o pessoal não comentar...deve ser porque não és uma gaja gira e burra...não usas saltos altos e não comes pipocas...
vamos criar um blog cor de rosa sem dizer nada a ninguém ?

grande post, Roberto. Mais destes sff.

ps; ouvi dizer que comeste uns belos camarões grelhados no fim de ano, pá...ainda há bons sogros, porra.

Roberto said...

Bora nessa...

Não duvides (os percebes é que não estavam famosos). E eu ouvi dizer que há alguém que já anda :)

Francis said...

vou pensar num nome e num template para essa cena. temos é que criar mails diferentes para não darem connosco.


é verdade, o pequeno Lie(n)d(er)son já anda, pá...

Roberto said...

Não chames isso ao puto, pá !

O que é que significa "records de visitas" ?

Francis said...

era isso ou Juskowiak.

significa que desde que começaste a escrever assiduamente a média de visitas diárias subiu consideravelmente. mas eu sei que tu sabes...gosta de puxar conversa...

Roberto said...

Se sei é porque sei, se não sei é porque não sei, estou sempre tramado contigo.
Já escrevo aqui há tanto tempo ...

Francis said...

eu sei que sabes.
mas já não escrevias há muito tempo, e nestes ultimos dias a coisa subiu consideravelmente.

Roberto said...

A malta ganha alguma coisa com as visitas ? não dá para meter publicidade ? já vi isso algures ...

Hugo said...

Grande post

Salvador said...

rsrsrsrsr.

Excelente sátira. Excelente crónica...))

Um bom ano para vocês.