Tuesday, September 13, 2011

O capotamento numa familia queque


Boas noites a todo o auditório aqui presente,

Hoje dei comigo a cogitar na morte. Além das diferentes abordagens que cada cultura tem, a forma como ela é encarada também varia consoante a família onde o falecimento (vulgo, capotamento) ocorre.

As pessoas do povo choram que se desunham e ainda o caixão não desceu à terra já uma velha grita "Leva-me contigo!!". "Pedido anotado. A sua vontade está em processamento.", pensa Deus lá no alto.

E numa família queque? Como será?

Suponhamos que o patriarca queque morre. Qual será a reacção da família?

Esposa queque - "Você é um inútil, francamente. 'Tá bem que a Bá se casa esta semana e você não queria ir mas, francamente esta sua atitude é de péssimo tom! Olhe trate de ressuscitar até sábado, ouviu? Se Cristo conseguiu você também consegue, o Augustos é que já não me troca o vestido mais vez nenhuma!"

Filho queque - "Ó papá... você está a morrer mesmo ou só não quer falar comigo?"

Filha queque - "Ai ó Tomás não me agarre agora! Não vê que o paizinho está a morrer? Que horrore!!"

Criada - "Mais uma merda pra eu limpar... Foda-se!"

Sogro - obviamente não diz nada pois está solidário com a dor da filha, porém pensa com um sorriso maroto olhando o falecido - "Adivinha quem não volta a pedir-me o Jaguar emprestado?"

Se não é assim, devia ser.

14 comments:

Di Almeida said...

Acrescentava também no filho queque: "Papá,que inconveniente!Logo agora que ia imprimir o meu diploma no paint!"
Falta aqui a opinião do sogro.Sim,o sogro mete sempre o dedo...

Agostinho o Charmoso said...

"Papá,que inconveniente!Logo agora que ia imprimir o meu diploma no paint!" AHAHAHAHAHAHAHAHAHAH Muito bom!

Falta o sogro, a sogra, a prima varizenta que só aparece para oferecer sabonetes e o cão a uivar!

Olaré!

Di Almeida said...

Inúteis de merda, só estoiram à sexta-feira quando a empregada já tem encontro marcado na danceteria!

Agostinho o Charmoso said...

Ou em dias de greve nos transportes... Será que escolhem?

Malandrão said...

"Caputamento", Agustinho ?

As famílias queques não tem criadas, têm sopeiras.

Esta história fez-me lembrar uma outra, verídica, ocorrida numa concentração motard algures no norte do país.
Dois motards resolveram ir tomar uns copos a um bar junto do local da concentração. Como previam alcool em excesso, resolveram pedir um carro emprestado, por ser mais seguro.
E lá foram eles.
Como previsto, enfrascaram-se à grande.
O regresso foi veloz e atribulado. Uma dada curva transformou-se em recta e pimba, lá fora eles para foram da estrada. O carro deu várias cambalhotas, até que, bem destruído, parou de rodas para o ar.
Passado o susto, um vira-se para o outro e diz: "Foda-se, Paulo, acho que morremos".
"Não sejas estúpido", respondeu o Paulo, "se morremos como é que estamos a falar um com o outro ?"

"É porque ainda estamos quentes", exclamou o primeiro.

rosaamarela said...

ahaaaaaaaaaaaaaa ahggggggggg ahhhhhhhhhhhhhhhh


BOM DIA!!!

Agostinho o Charmoso said...

Bom dia menina Rosa Amarela!

Bem disposta?

rosaamarela said...

Sempre!!!

Agostinho o Charmoso said...

Partilhe sempre a sua bom disposição e energia connosco, por fineza de espírito!

Agostinho o Charmoso said...

Di, minha abelhinha, vou fazer-lhe a vontade e acrescentar a do sogro.

Di Almeida said...

Você é um amor!Um beijinho de bom dia ***

Agostinho o Charmoso said...

Estraga-me com mimos...

Um beijinho para a menina!

Francis said...

tá com graça, pá.

Agostinho o Charmoso said...

Tu gramaste a criada, não foi?