Sunday, September 25, 2011

Um pobre palhacito

Este misto jogador de futebol / actor rasca dá pelo nome de Fucile.
Como jogador não vale um corno e como actor ainda menos.
No jogo de sexta-feira, a sua postura ao longo dos 90 minutos causou de misto de vómitos com irritação. Cada vez que este palhacito sentia o hálito ou a proximidade de um jogador do Benfica (nem sequer era necessário contacto), atirava-se para o chão agarrado à perna ou à cara. Quando efectivamente existia algum contacto (fosse onde fosse), atirava-se para o chão agarrado à cara, simulando ter sido vítima de uma agressão.
Passou o jogo todo a fazer teatro. Destacou-se muito mais como actor do que como jogador. Fitas vez várias, mas quando, ao minuto 28, se viu isolado em frente à baliza do Benfica, permitiu a defesa. Um traste. Um nojo.
Em determinada ocasião, graças a mais um número artístico e anti-desportivo, enganou o árbitro e transformou um canto a favor do Benfica num pontapé de baliza a favor do Porto. De seguida, passou perto do banco do Porto piscou o olho, provavelmente não sabendo que essa piscadela de olho estava a ser vista em milhares de casas portuguesas.

Esta piscadela de olho e tudo o que de muito mau ela significa são a imagem de marca do Porto desde há vários anos a esta parte.

3 comments:

Francis said...

é o mal de veres pouco futebol...

Rui Patrício said...

Admito que sim, mas para veres gajos destes, ainda bem que não vejo mais ...

Pulha Garcia said...

A minha parte preferida foi quando o Gaitán passou por ele, no lance do segundo golo.