Sunday, October 09, 2011

Aspectos do dia-a-dia

Depois de ler umas partes da Bola, por baixo estava esta revista, e como sou dada à parvoíce comecei a imaginar como seria uma ameaça de rapto.

Em primeiro lugar deve ter sido por escrito que a realeza não fala com o povo, somente comunica por escrito. Em segundo deverá ter sido redigido em inglês, mas a minha imaginação ficou-se pelo português mesmo.

"Exma. Sr. D. Alteza Caty,

Viemos por este meio comunicar-lhe que temos agendado no próximo sábado o rapto de vossa excelência, pelas vinte e três horas e trinta e três minutos.
Agradecemos a sua colaboração pedindo-lhe que nesse horário Vossa Alteza Real esteja no portão do Palácio Real para o inicio do rapto.

Permita-nos a sugestão: faça uma pequena mala de viagem com algumas mudas de roupa e mantimentos, pois este rapto não inclui pensão completa somente alojamento.

Com os melhores cumprimentos,
Os súbditos."


Bem mais dramático que uma ameaça de rapto é a falta de visão para o mercado. É.
Em direcção à Guerra Junqueiro passo em frente a uma igreja. Uma das portas de entrada para a igreja apinhada de pessoas e, mais à frente, na outra porta da igreja um homem a pedir dinheiro. O meu entendimento acerca de economia é curto, mas se ele queria pedir dinheiro não seria mais lógico fazê-lo na porta apinhada de pessoas? Isto, quanto a mim, tem um nome: falta de estudo do mercado em que se pretende progredir.

No comments: