Tuesday, September 25, 2012

Redução e/ou aumento das despesas do Estado



Seguem as primeiras dez medidas para meter isto na ordem:

1. Nacionalização imediata de todas as obras construídas pelas PPP (estradas, pontes, hospitais, etc.) e não pagamento de mais um euro a estas (se quiserem que vão para tribunal reclamar o que quiserem)
2. Cessação total de qualquer pagamento a qualquer fundação. Ou se aguentam por si ou fecham. Por definição, uma fundação não precisa do dinheiro de terceiros para sobreviver
3. Cortes em todas as pensões de reforma acima de € 3.000. Nenhum reformado poderá receber mais de € 3.000 por mês
4. Cessação do pagamento de subsídios de férias e de Natal a todos os reformados
5. Pagamento de taxas moderadoras e comparticipações nos medicamentos de acordo com o IRS (no outro dia paguei 28 cêntimos por um antibiótico, o que achei escandaloso)
6. Venda imediata de todos os veículos pertencentes ao Estado, excepto os da polícia. Começam todos, incluindo os governantes, a deslocar-se nas suas viaturas particulares
7. Extinção de todos os postos de trabalho de motoristas do Estado
8. Aumento de 100% no imposto automóvel para todos os carros com um preço base acima de 50.000 euros e redução para metade do imposto automóvel para todos os carros com um preço base inferior a 10.000 euros
9. Acabar com as forças armadas e vender imediata de todo o material de guerra que temos (incluindo os submarinos) e todos os quartéis (odeio a tropa, não faz falta e é cara).
10. Criação de brigadas de investigação para apuramento do património de todas as pessoas que exerceram cargos políticos nos últimos 30 anos (membros do governo, presidentes da república, deputados e presidentes de câmaras). Quem tiver aumentado o seu património mais de 5 vezes terá que provar a proveniência lícita do dinheiro. Se não provar, todos os bens que excederam o quíntuplo do que tinham anteriormente serão confiscados a favor do Estado.

Acrescentarei outras medidas neste sentido e se alguém tiver algo a propor, é só dizer.
Faltam igualmente as medidas para aumento de produtividade do país. Ando a pensar nisso.

36 comments:

Irritadinha said...

Já que os carros são deles, que isso inclua o combustível. E porque não viagens ao estrangeiro saírem do bolso deles?

Irritadinha said...

Desconheço se existe mas impor um limite máximo ao total de secretários de estado.

Francis said...

Atropa obrigava-os a fazer servilo de bombeiros.

já nos carros do estado, dava-lhes um Corsa...os gajos tem que falar ao telemovel e/ou ler qualquer coisa a caminha de uma reunião...vi há dias em Paris uns gajos do governo num Nissan Note, ou então era o equivalente ao Renault da mesma gama, agora é a mesma companhia...

e concordo absolutamente com a retirada de subsidio de férias e de natal aos reformados, ainda tive uma discussão acesa sobre este assunto.

Dr. Michael Grasses said...

Bem, já temos algumas medidas adicionais. Eu esqueci-me de uma (consequência de outra): acabar com o ministro da defesa, merda esta que nunca percebi para que serve. Defesa de quê ???

Dr. Michael Grasses said...

Estou muito de acordo que os secretários de estado tb sejam investigados (ver, por exemplo,
http://economico.sapo.pt/noticias/mario-lino-nao-comenta-processos-que-decorrem-na-justica_152563.html)

Este Mário Lino é outro ...

Irritadinha said...

Extinguir ou juntar à da Administração Interna ninguém deve dar por isso...

Já agora as mesmas regras para a malta do continente e a malta das ilhas?

Irritadinha said...

Se os extras dos reformados seriam para acabar, não devia também acabar os subsídios aos presos?

Dr. Michael Grasses said...

Bem visto. O que sugeres para as ilhas (para além da independência imediata) ?

Irritadinha said...

As selvagens deviam ser utilizadas para construir prisões onde seriam colocados presos "especiais" (políticos, pedófilos e afins), caso se tornem independentes podem comprar o armamento do exercito porque cada nação recém-nascida que se preze tem mais armas do que população.

Já agora os americanos têm a base nos Açores por alma de quem? E é de borla?

Dr. Michael Grasses said...

Não temos dinheiro para construir nada. Ficam presos na ilha, mas dormem ao relento e comem raízes.

Quanto à base, pagam uma merda qualquer, mas não me parece que seja uma medida a meter no programa do dono da loja.
cá por mim arrendava os Açores aos américas nos seu todo, aquilo só dá despesa.

Irritadinha said...

Ok, então qual é o segredo para aumentar a produtividade? Ensinar empresários que quando ganham as primeiras notas não as queimam num carro? Quem nem todos nasceram para patrões?

Deve ser inocência minha, mas a maioria quer "o melhor para" um grupo alvo (sejam funcionários, colegas de trabalho, etc) mas na primeira oportunidade passam a perna, tiram algum para o próprio bolso. Quer seja por saírem sempre airosos das situações ou porque outros com mais poder não dão o exemplo, como é que muda uma cultura do umbiguismo e da passar a perna aos outros para uma cultura mais cooperativa e menos de "passar a perna"?

Francis said...

as ilhas só interessam manter devido às milhas maritimas que acrescentam ao território, tirando isso não servem para absolutamente nada.

Francis said...

e que tal obrigar os funcionários que só dizem mal a gerir as empresas ? os sabichões que sabem tudo ? e que tal votar massivamente no PCP ? eu estou tentado.

Irritadinha said...

Votar no PCP? Prefiro o voto em branco.

Dr. Michael Grasses said...

ainda não tenho as primeiras dez medidas para aumentar a produtividade, pelo que não me posso pronunciar sobre isso.
embora tenha muitas dúvidas sobre a necessidade de recurso ao crédito para que uma empresa seja viável, acho que em certos casos - muito bem justificados e depois acompanhados - a CGD devia ser obrigada a conceder crédito aos empresários honestos e com projectos com pernas para andar.

Dr. Michael Grasses said...

E porque não votar no Bloco de Esquerda em vez do PCP ? o meu problema é que seria necessário alguém com tomates para tomar medidas duras e aí não vejo ninguém.

Será fundamental, por exemplo, alterar as leis laborais e aí não podemos contar com o PCP ou com o BE ...

Dr. Michael Grasses said...

já me esquecia: tenho tb algumas medidas para acabar com o caos das despesas nos transportes e dos seus prejuízos loucos.
Na linha do estoril (que tem detalhes de funcionamento completamente estúpidos e gastadores), por exemplo, vejo comboios a circular às moscas, mesmo à hora de ponta. Devia haver um comboio de meia em meia hora e ponto final.

Irritadinha said...

Fora de piadas mas ainda alguém acredita que haja assim tanta diferença entre direita e esquerda? Excluindo partidos mais extremistas, claro.

Sobre os transportes... É uma ideia mas igualmente maior fiscalização, o que mais vejo é gente a entrar no autocarro sem passe e ninguém diz nada...

Francis said...

o BE é muita demagogia, vendiam-se logo ao grande capital...vê tu bem que o local preferido para férias do Querido Lider Loução, são nem mais nem menos os fucking US of A...no PCP há mais honestidade.

Dr. Michael Grasses said...

não vejo a diferença, é certo, mas também não vejo o PCP ou o BE a, por exemplo, tomar medidas favoráveis aos empresários. A cega protecção dos "desprotegidos" também não é o caminho certo, como já se demonstrou.

Dr. Michael Grasses said...

seja o PCP, então. quanto mais não seja, consistiria em dar uma oportunidade aos gajos de mostrarem o que valem ... pior não ficaríamos decerto

Francis said...

exactamente...a intenção é essa mesma...pior, mas pior mesmo, não é possivel.

Irritadinha said...

A diferença é nenhuma, um agora reclama do que o outro faz e daqui a uns tempos mudam de posições e pouco se altera.

BE é demagogo, PCP honesto? Ok... São todos honestos até chegarem ao poder, não sejamos ingénuos o poder e as pressões a que são sujeitos altera tudo.

Proteger os desgraçadinhos só gera mais degraçadinhos. Recebem o rendimento mínimo, respondem a uns anúncios de emprego quando calha e se der ainda se vende umas coisas ilegais. Ou seja, enquanto houver mama e formas de chegar a ela há muito dinheiro mal empregue. Seja qual for o governo que crie medida contra a evasão fiscal os contribuintes descobrem 3 novas maneiras de fugir. Não é estranho?

Francis said...

esntão vamos votar em quem prima ?
em branco não, não adianta, nulo muito menos...alguém tem que lá estar, e estas cromos nunca lá estiveram...quer dizer, a sério...tirando os governos de salvação nacional, mas isso tu ainda eras um pequeno embrião marado..não te lembras

Dr. Michael Grasses said...

quanto à evasão fiscal, acho que na generalidade dos casos é dificil.
contudo, há coisas que continuo sem perceber:
- Porque é que se eu for ao Continente e quiser uma factura tenho que pedir, não ma dão automaticamente ? quando não é pedida e consequentemente nem dada, alguém paga algum imposto ?
- O mesmo nos restaurantes. quando peço a conta, devia vir AUTOMATICAMENTE uma factura e, em 90% dos casos ... não vem
- E quando vou a um bar tomar um copo, quando vou cortar o cabelo, quando vou comprar uns sapatos, cadê a factura ? não me f..., a maior parte dos comerciantes paga muito menos impostos do que devia

Irritadinha said...

Honestamente? Neste momento um governo de salvação nacional (sim, não era nascida mas já andei a ler sobre o tema).

PS e PSD não têm diferenças, o CDS é o partido cristão com um líder gay, o BE são um grupo de fala-baratos que vive na sombra do Louçã enquanto não apareça alguém que carregue mais nos r's do que ele, PCP? Na... Lamento a história do comunismo é péssima, talvez por a utopia deles ser tão grande que só dá merda.

Por isso, sim sou a favor de um governo de salvação nacional.

Dr. Michael Grasses said...

A questão de votar em quem neste momento, ao que julgo, não se coloca. Os nossos problemas são a muito mais curto prazo, antes de eleições, digamos até ao final do ano. Vai ser muito muito muito complicado.

Hoje ouvi dizer que nos proximos dias vai haver uma manifestação à qual os policias aderiram. Sendo assim ...

Irritadinha said...

Claro que pagam, mas olha lá e a crise? E as margens de lucro que diminuiram? A clientela que foi à vida?

Para mim este é o problema de raciocinio da maioria que gera porblemas: estou à rasca, fujo ao que posso e se der para ainda sacar algum ao estado melhor! Ou seja, as pessoas agem com o estado da mesma forma que eu com o meu pai: eu sei que tenho x dinheiro para gastar este mês, mas também sei que sou a filha querida e tenho manhas para ele aumentar o meu orçamento caso eu gaste mais que o necessário.

A maioria vive à espera de ser sustentado pelo Estado, e se isso não muda...

Dr. Michael Grasses said...

Um governo de salvação nacional não me pareceria mal. O pequeno problema é que o mesmo seria escolhido por um dos lideres do gang, por um dos principais responsáveis pela situação em que nos encontramos.
Será que confiamos numa salvação nacional conduzida pelos amigalhaços do Cavaco, incluindo talvez o seu genro ?

No way. Cá para mim isto só vai lá à porrada ... devo ser dos poucos que aprecia as imagens que vêm de Espanha ...

Dr. Michael Grasses said...

Bem, antes de me retirar, registo com apreço a proposta da Irritadinha. Uma das maneiras que temos para nos safarmos se isto continuar a dar para o torto, é ir falar com o pai dela... ele safa-nos !!!

Irritadinha said...

Mesmo que o GS não fosse escolhido por um dos líderes do gang o problema mantém-se: quem quer que lá vá sentar o seu belo rabo já tem "vicios" que se vão manifestar. Podem achar estúpido eu insistir nisto, mas a questão da motivação gerada pelo poder muda tudo, e se ia sem vícios ganha uns novos. Mas alguém quer PM para salvar o país? Poupem-me! Quer ser PM porque é um poder do caraças. Ou alguém acredita que os Maçons gostam de o ser porque as roupas são muito bonitas? Poder, tão simples quanto isso.

E porque motivo em Portugal não vai tudo à porrada? Porque em teoria o povo tem o poder de mandar, e não o faz porque continuamos à espera do D. Sebastião ou do 4º segredo de Fátima.

Irritadinha said...

É favor não deturpar a analogia que fiz sff.

Ricardo said...

"Arrendar os Açores" e "as ilhas não serve para nada"... É com cada cromo... Arrendem é a vossa inteligência, já que não a usam...

Dr. Michael Grasses said...

Desculpa, Ricardo, tens razão.
A verdade é: "Oferecer os Açores" e "a merda das ilhas não servem para nada".

Ricardo said...

Não, eu é que peço desculpa, quando disse para arrendarem a vossa inteligência, quando aparentemente não a têm.

Dr. Michael Grasses said...

Hum hum, tens razão, vai e não voltes.